III Simpósio de História e Arte

 A R T E   E   V I O L Ê N C I A   |   12 a 14 de setembro de 2018

 

núcleo

de artes

visuais

 

|    i n í c i o   |    p r o g r a m a ç ã o   |    p a l e s t r a n t e s   |    i n s c r i ç õ e s    |    o r g a n i z a ç ã o   |   f o t o g r a f i a s   |

 

 

 

PALESTRANTES 

 

 

ANACLETO FERRER (Universidade de Valência, Espanha)

Professor de Estética e Teoria das Artes do Departamento de Filosofia da Universidade de Valência. Vem pesquisando o entrecruzamento entre filosofia e artes por meio dos mais diversos campos expressivos, como poesia, cinema, música e pintura, tendo se dedicado longamente ao estudo da obra do poeta alemão Friedrich Holderlin. Autor de vasta produção bibliográfica, tem entre suas principais publicações os livros “Rousseau: musica y lenguaje” (Universidade de Valência, 2010), “Vida, poesía y locura de Friedrich Hölderlin” (Madrid, Hiperión, 1988) e “El tempo abatido” (1980), além dos livros organizados “Cinema e filosofia” e “Estética, política y música en tiempos de la ‘Encyclopédie’”.

 

CARMEN SILVA (Líder da FLM-SP)

Estrategista de ocupações e uma das mais importantes lideranças da luta pela moradia, Carmen Silva Ferreira é do Movimento Sem Teto do Centro (MSTC), filiado à Frente de Luta por Moradia (FLM-SP). Foi atriz no filme Era o Hotel Cambridge, de Eliane Caffé, que mostra a realidade de refugiados recém-chegados ao Brasil que dividem o espaço com um grupo de sem-tetos em um edifício abandonado no centro de São Paulo.

 

EDUARDO PELLEJERO (UFRN)

Graduado em Filosofia na Faculdade de Filosofia da Universidade do Salvador (Argentina, 2000) e Doutor em Filosofia Contemporânea pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (Portugal, 2006). Desde 2009 é professor de Estética na Universidade Federal de Rio Grande do Norte (Brasil). Forma parte do Programas de Pós-graduação em Estudos da Linguagem e do Programa de Pós-graduação em Filosofia da mesma universidade. Atualmente desenvolve uma pesquisa no domínio da estética, da filosofia da arte e da literatura. É o vice-coordenador do grupo ACEFALO. Dentre suas principais publicações estão os livros "A postulação da realidade" (Lisboa, Vendaval, 2009) e "Perder por perder. E outras apostas intelectuais" (Natal, EDUFRN, 2017).

 

JAIME GINZBURG (USP)

Professor associado da Universidade de São Paulo, com tese de livre-docência em Literatura Brasileira abordando as relações entre literatura e regimes autoritários. Como docente e pesquisador, desenvolve atividades na graduação e pós-graduação com ênfase na Literatura Brasileira de 1930 ao presente e, atualmente, coordena o projeto de pesquisa “Literatura e cinema no Brasil contemporâneo”. Publicou, como autor ou organizador, entre outros, “Escritas da violência” (2012, em dois volumes), “Walter Benjamin: rastro, aura, história” (2012), “Crítica em tempos de violência" (2012, 2017), Prêmio Jabuti em Teoria e Crítica Literária, e “Literatura, violência e melancolia” (2013).

 

MARIA ANGÉLICA MELENDI DE BIASIZZO (UFMG)

É graduada em letras pela Facultad de Filosofia y Letras - Universidad de Buenos Aires (1967) e em artes visuais pela Escola Guignard da Universidade do Estado de Minas Gerais (1985). Doutora em Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais (1999). Atualmente é professora associada da Universidade Federal de Minas Gerais. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Fundamentos e Crítica das Artes, atuando principalmente nos seguintes temas: arte contemporânea, memória, arte, corpo e fotografia. Investiga as estratégias de memória desenvolvidas pela arte contemporânea na América Latina em relação aos terrorismos de estado e à violência social. É coordenadora do Grupo de Pesquisa Estratégias da Arte na Era das Catástrofes (www.estrategiasarte.net.br) e editora da Revista Lindonéia (on-line).

 

PETER PÁL PELBART (PUC-SP)

Possui graduação em Filosofia pela Sorbonne (Paris IV- 1983) e doutorado em Filosofia pela Universidade de São Paulo (1996). Atualmente é professor titular da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Trabalha com Filosofia Contemporânea, atuando principalmente nos seguintes temas: Deleuze, Foucault, tempo, loucura, subjetividade, biopolítica. É autor, entre outros, de O avesso do niilismo: cartografias do esgotamento (N-1 Edições), Vida capital: ensaios de biopolítica (Iluminuras), A vertigem por um fio (Iluminuras) e O tempo não-reconciliado (Perspectiva). Estudioso da obra de Gilles Deleuze, traduziu para o português Conversações, Crítica e Clínica e parte de Mil Platôs. 

 

SERGIO VILLALOBOS RUMINOTT (Universidade de Michigan, EUA)

Doutor pela Universidade de Pittsburgh (2003). Atualmente é professor no departamento de Línguas e Literaturas românicas na Universidade do Michigan, onde trabalha com poesia moderna e contemporânea latino-americana no âmbito dos programas de graduação e pós-graduação. Desenvolve pesquisas relacionadas às práticas literárias, visuais e culturais da imaginação na história moderna e contemporânea da América Latina. Dentre suas principais publicações estão os livros "Heterografías de la violencia. Historia, nihilismo, destrucción" (Buenos Aires, La Cebra, 2015) e "Soberanías en suspenso. Imaginación y violencia en América Latina" (Buenos Aires, La Cebra, 2013).

 

 

 

 

O QUÊ?

 

III Simpósio de História e Arte, com o tema "Arte e  violência".

 

QUANDO?

 

12 a 14 de setembro de 2018.

 

ONDE?

 

UFPR, Auditório do DECOM, Curitiba-PR, Rua Bom Jesus, 650, Juvevê, Curitiba, PR

 

REALIZAÇÃO

 

Grupo de pesquisa: Núcleo de Artes Visuais - NAVIS (CNPq)

 

Linha de Pesquisa: Arte, Memória e Narrativa, Programa de Pós-Graduação em História – PPGHIS/UFPR

 

APOIO

 

CAPES, PPGHIS, DEHIS-UFPR, Setor de Humanas da UFPR, DEARTES-UFPR, Setor de Artes, Comunicação e Design da UFPR

 

CONTATO:

 

arteeviolenciainscricoes@gmail.com